Janeiro Branco convida operadoras de saúde a promover o cuidado com a saúde mental


Os cuidados com a saúde mental vêm ganhando cada vez mais espaço na estratégia de promoção da saúde das operadoras brasileiras, principalmente depois que a pandemia de Covid-19 aumentou a incidência de transtornos ligados à ansiedade, depressão e estresse entre a população.

Mas mesmo antes da pandemia já vivíamos no país mais ansioso do mundo, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em 2017, o relatório Depression and Other Common Mental Disorders – Global Health Estimates (ver PDF) já mostrava que 9,3% dos brasileiros (aproximadamente 18,6 milhões de pessoas) sofriam de transtornos de ansiedade, enquanto 5,8% enfrentavam algum quadro de depressão.

janeiro branco saúde mental

Diante desses números, muitos especialistas já admitem que vivemos também uma epidemia de transtornos mentais no Brasil.

Falta apenas a sociedade tomar consciência desse fato e passar a tratar do assunto com mais frequência e abertura, seja nos serviços de saúde, na mídia ou mesmo nas conversas em família.

É exatamente aí que entra a campanha Janeiro Branco, uma ideia que nasceu no Brasil e aos poucos está se tornando uma data global para a promoção da saúde mental.

O que é a campanha Janeiro Branco?

Idealizada em 2014 por um grupo de psicólogos de Uberlândia (MG), a campanha Janeiro Branco nasceu com a ideia de aproveitar o início do ano para promover os cuidados com a saúde mental entre a população.

Em termos simbólicos e culturais, é no primeiro mês do ano que as pessoas estão mais propensas a pensar na vida, nas relações sociais, nas suas emoções e em seus sentidos existenciais.

Na visão dos criadores da campanha, janeiro pode ser considerado uma “página em branco” a ser preenchida com novas metas, voltadas para o bem-estar da saúde mental.

Desde então, o grupo vem organizando uma série de ações pelo país, que incluem palestras, oficinas, cursos, entrevistas na mídia, caminhadas, rodas de conversa e abordagem de pessoas em espaços públicos e privados.

De 2014 para cá a campanha Janeiro Branco cresceu, ganhou abrangência nacional e internacional, alcançando países como Angola, Japão, Colômbia, Estados Unidos, Portugal e Holanda.

Algumas cidades e estados brasileiros inclusive já estabeleceram por lei o mês de janeiro como o “mês da saúde mental” em seus calendários oficiais.

Na entrevista a seguir, o psicólogo Leonardo Abrahão explica melhor as origens e os objetivos da campanha em 2021. Vale assistir!

Como sua operadora pode participar

A campanha Janeiro Branco conta com o envolvimento espontâneo de profissionais da saúde, profissionais da mídia e cidadãos em geral em um esforço coletivo para conscientizar as pessoas a respeito dos cuidados com a saúde mental e emocional.

Para participar da iniciativa sua operadora precisa apenas planejar ações em nome da campanha com o objetivo de disseminar uma cultura da saúde mental em sua região de abrangência.

No site oficial da campanha é possível entrar em contato com os organizadores para promover grupos, células de trabalho, ações coletivas ligadas ao tema.

De acordo com os organizadores, o importante é fazer circular informação e conhecimento sobre saúde mental em todos os espaços nos quais as pessoas se encontram.

A campanha funciona como uma espécie de plataforma temática a partir da qual inúmeras produções midiáticas sobre psicoeducação e saúde mental podem ser desenvolvidas, ampliando a presença dos psicólogos no imaginário social e evidenciando a importância de cuidar da própria saúde emocional e da saúde emocional alheia.

Dentro desse contexto, sua operadora pode:

  • organizar palestras, workshops ou mesmo lives no YouTube para falar do tema;
  • produzir releases para a imprensa buscando espaço como fonte para veículos de informação;
  • divulgar material informativo impresso e digital entre seus beneficiários, contendo orientações para prevenir problemas de ordem emocional e convidando-os a participar de ações preventivas envolvendo a saúde mental.

 


Um desafio para a saúde suplementar

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (AND) reforça a importância de se ampliar o debate e os meios para enfrentamento dos transtornos mentais, principalmente diante dos dados recentes do mercado de planos de saúde no país.

Só em 2019, as operadoras realizaram cerca de 29 milhões de procedimentos relacionados ao cuidado com a saúde mental, um aumento de 167% em comparação ao ano de 2011.

Nesse mesmo período, o número de consultas psiquiátricas por mil beneficiários subiu 80%, enquanto as consultas de psicologia evoluíram 199% e as consultas e terapia ocupacional subiram 276%.

O desafio das operadoras é diminuir esse avanço por meio de ações preventivas, como as sugeridas pelo Janeiro Branco, de forma a reduzir os custos assistenciais e minimizar os prejuízos à saúde decorrentes do agravamento de problemas mentais.

Esses prejuízos já estão ocorrendo e vêm aumentando a cada ano.

Ainda segundo a ANS, entre 2011 e 2019, o número de internações psiquiátricas por 100 mil beneficiários aumentou em 152% e as internações em hospital/dia de saúde mental aumentaram 383%.

Sendo assim, não há tempo a perder!

Se você é gestor de medicina preventiva ou promoção da saúde, volte sua atenção no início do ano para a campanha Janeiro Branco e veja como sua operadora pode contribuir para divulgar os cuidados com a saúde mental entre seus beneficiários.

engajar beneficiários

Entre em contato

Solicite uma demonstração ou deixe sua mensagem

Ficou com dúvida sobre o Previva?