Teste de depressão, ansiedade e estresse revela: transtornos mentais atingem 86% dos brasileiros


De acordo com os resultados de um teste online respondido por mais de 492 mil pessoas, 86% da população brasileira sofre de transtornos mentais em diferentes níveis.

O questionário DASS-21 (Depression, Anxiety and Stress Scale) é utilizado pela Vittude, plataforma online voltada para a saúde mental, para medir níveis de depressão, ansiedade e estresse.

transtornos mentais

As respostas foram coletadas entre outubro de 2016 e abril de 2019.

Os resultados foram divulgados em agosto e indicam que 37% dos pesquisados responderam as perguntas sob um estado de estresse extremamente severo.

Uma parcela de 59% se encontrava em estado extremamente severo de depressão. A ansiedade extremamente severa, por sua vez, foi identificada em 63% das pessoas.

De acordo com a metodologia do teste, um transtorno não exclui o outro.

Portanto, a mesma pessoa pode apresentar um, dois ou até mesmo três transtornos mentais simultâneos.

O que é o teste DASS-21?

Trata-se de um questionário com 21 perguntas desenvolvido por pesquisadores da Universidade de New South Wales, na Austrália, para avaliar a severidade dos sintomas da depressão, ansiedade e estresse.

A ideia é analisar as experiências pessoais, pensamentos e estilo de vida do respondente nos sete dias antecedentes à realização do teste.

As respostas são classificadas em uma escala Likert de quatro pontos, semelhante à utilizada em pesquisas de comportamento e opinião.

Seus organizadores ressaltam que o DASS-21 não é um instrumento de avaliação psicológica regulamentado pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP) e deve ser usado apenas para fins de informação.

Perfil dos participantes

Segundo os dados da Vittude, 21% dos respondentes maiores de 18 anos trabalham e estudam, enquanto 26% apenas estudam. Entre os menores de idade, 85% apenas estudam.

Considerando todas as faixas etárias, 54% dos participantes afirmaram estar inseridos no ambiente acadêmico ou escolar.

De acordo com Tatiana Pimenta, CEO e fundadora da empresa, esse fato é um indicativo de que tais ambientes impactam a saúde mental dos respondentes de alguma forma.

Outra tendência revelada pelos o questionário é o número alto de participantes que responderam às perguntas no período noturno. O maior volume de respostas foi registrado entre as 23h e as 4h da manhã.

Para Tatiana, Isso mostra como a insônia é um dos sintomas que mais leva as pessoas a se preocupar com sua saúde mental e procurar ajuda.

Causas dos transtornos mentais

Ao analisar os resultados do DASS-21, a CEO da Vittude aponta alguns motivos que podem estar causando uma verdadeira epidemia de transtornos mentais entre a população.

“A dificuldade para se adaptar a um mundo em constante mudança, lidar com frustração e o excesso de informações contraditórias oriundas dos veículos de comunicação, e baixa autoestima parecem ser a raiz do desconforto experimentado pelas pessoas, independente da faixa etária”, afirma Tatiana.

Além desses fatores, ela ressalta que certos elementos externos (como o desemprego, a pobreza e o estilo de vida acelerado nas grandes cidades) também contribuam para o desenvolvimento de sintomas ligados a transtornos mentais.

Segundo estatísticas da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é hoje o país “mais ansioso” no mundo, com cerca de 9,3% da população vivenciando sintomas do transtorno de ansiedade.

Como prevenir os transtornos mentais

Avaliações como o DASS-21 são formas claras e objetivas de verificar como as pessoas estão se sentindo. A partir dos resultados do teste, a pessoa deve ser encaminhada para a orientação de profissionais experientes na área de saúde mental.

Diante do número crescente de pessoas com transtornos mentais, as operadoras de saúde precisam desenvolver ações e ferramentas capazes de contribuir para a prevenção e o tratamento.

O teste de depressão ajuda a identificar o problema, mas não substitui o diagnóstico de um profissional.

Portanto, os gestores da área de promoção da saúde devem buscar conscientizar seus beneficiários da importância de acompanhar seu estado mental e emocional.

Dessa forma, incentivá-los a fazer uma consulta com um psicólogo ou médico psiquiatra.

Criar grupos de apoio e compartilhar informações úteis para o controle do estresse e da ansiedade são outras iniciativas importantes.

Divulgar informações sobre a prevenção da depressão também é fundamental, seja para reduzir o preconceito que ainda existe com relação à doença ou para auxiliar o paciente a identificar sintomas e procurar ajuda.

O que a sua operadora está fazendo nesse sentido? Conte sua experiência para a gente nos comentários abaixo!

programa de medicina preventiva

Entre em contato

Solicite uma demonstração ou deixe sua mensagem

Ficou com dúvida sobre o Previva?