Redução da sinistralidade: custos menores unindo tecnologia e medicina preventiva


redução da sinistralidade

Um interessante artigo sobre redução da sinistralidade em operadoras de saúde, publicado em maio no Blog da MV, mostra que a união de uma estratégia bem planejada de medicina preventiva com o uso de sistemas de gestão da informação é uma das melhores formas de reduzir os custos com despesas assistenciais na rede suplementar.

Destacamos a seguir, trecho do post que menciona a importância da tecnologia e das ações preventivas para redução da sinistralidade:

Foco na prevenção

Outra prática na busca pela redução da sinistralidade é a realização de campanhas de prevenção e conscientização dos beneficiários. As organizações podem recorrer a programas de saúde e qualidade de vida, campanhas de vacinação, incentivo à prática de atividades físicas e ações de prevenção de doenças, como diabetes e hipertensão. Investir em medicina preventiva é uma ferramenta redutora de gastos no sistema de Saúde.

Estimular as campanhas preventivas e a realização de checkups periódicos podem até gerar custos constantes para a operadora, mas menores que aqueles oriundos com tratamentos e procedimentos para doenças já diagnosticadas, geralmente de alto custo.

Os beneficiários ainda podem ser avaliados e acompanhados a partir da criação de grupos de enfermidades ou de riscos. O monitoramento pode auxiliar na identificação de doenças crônicas, que são facilmente controladas com remédios. Sem um controle, aumenta a necessidade de marcação de consultas ou mesmo de internação, o que acarreta ainda mais despesas para a operadora.

Gestão das informações

Todas essas ações podem ser melhor coordenadas a partir da informatização dos sistemas de gestão. Essas ferramentas não só permitem a checagem e diferentes abordagens  dos dados referentes aos beneficiários, como garantem mais eficiência no controle de grupos de risco, na manutenção de programas de medicina preventiva e no controle de custos provenientes da coparticipação no pagamento de procedimentos.

Um benefício imediato da informatização dos sistemas de gestão é a contribuição para a gestão financeira, pelo maior controle de irregularidades de cobrança que ela proporciona. Os softwares de gestão podem evitar que reajustes deixem de ser aplicados ou que receitas programadas não sejam cobradas. Esse recurso ainda exerce papel fundamental na análise de dados e cadastros, atuando como uma ferramenta para a elaboração de ações preventivas.

Visite o blog da MV para ler o post na íntegra e saiba mais a respeito de outras formas de promover a redução da sinistralidade em planos de saúde.

Caso você esteja interessado em uma ferramenta para ajudá-lo a reduzir os custos e melhorar a gestão dos programas de medicina preventiva, aproveite para conhecer o Previva e veja como podemos facilitar a vida da sua operadora!

E não deixe de conferir o e-book onde explicamos em mais detalhes como a medicina preventiva pode racionalizar os custos assistenciais em uma operadora de saúde. É só clicar na imagem abaixo e fazer o download gratuito.

custos assistenciais em saúde

Entre em contato

Solicite uma demonstração ou deixe sua mensagem

Ficou com dúvida sobre o Previva?