Novembro Azul e a promoção da saúde integral do homem


novembro azul

Criado em 2003 na Austrália, o movimento Movember rapidamente ganhou o mundo levando a mensagem da conscientização a respeito das doenças típicas do sexo masculino, em especial a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de próstata. Em 2011, o Instituto Lado a Lado pela Vida lançou no Brasil uma campanha inspirada nesse movimento e batizou-a de Novembro Azul.

Desde então, o mês de novembro tem sido escolhido pelos profissionais da área de saúde como o período ideal para divulgar a promoção da saúde masculina. No ano passado o instituto contabilizou mais de 2 mil ações realizadas durante todo o mês, incluindo a iluminação de pontos turísticos, adesão de celebridades, ativações em estádios de futebol, corridas de rua e em autódromos, além de palestras informativas, intervenções em eventos populares e pedágios nas estradas.

Campanha com foco ampliado

Em 2016, a campanha Novembro Azul chega com seu foco ampliado e com a intenção de se tornar um movimento permanente pela saúde integral do homem. A proposta é ir além da prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de próstata, para abranger todo o espectro de doenças ligadas ao sexo masculino. “Queremos mobilizar a população masculina para que se torne protagonista da sua história e responsável por sua qualidade de vida em diferentes fases da vida”, explica a presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida, Marlene Oliveira.

Além do câncer de próstata, a campanha este ano pretende alertar a respeito dos principais problemas que podem afetar a saúde masculina, da infância à terceira idade. Nos primeiros anos de vida é comum a ocorrência de fimose, infecção urinária e prostatite (inflamação da próstata). Entre os adolescentes surgem a arritmia cardíaca, as doenças sexualmente transmissíveis e a ejaculação precoce. Na fase adulta aparecem doenças como cálculo urinário e diversos tipos de câncer. Por fim, na terceira idade, é mais comum a ocorrência de diabetes, disfunção erétil e hipertensão arterial.

Sua operadora pode aproveitar a deixa para esclarecer seus beneficiários a respeito dos principais exames preventivos que devem ser feitos pelos homens em cada fase da vida.

Vencendo o câncer de próstata

Mesmo com a ampliação do seu foco, o principal alvo da campanha Novembro Azul continua sendo o câncer de próstata. Motivos para isso não faltam. Trata-se do segundo tipo de câncer mais comum entre os homens e é responsável por mais de 13 mil mortes anuais – o equivalente a uma a cada 40 minutos. Como se isso não bastasse, segundo o Instituto Nacional do Câncer, mais de 61 mil novos casos devem ser registrados no Brasil em 2016.

Como esse tipo de câncer não apresenta sintomas no estágio inicial, é importante que o homem identifique se possui algum fator de risco, como parentes que já tiveram a doença ou hábitos de vida pouco saudáveis. O diagnóstico pode se dar por meio de um simples exame de sangue, conhecido como PSA. Mas para uma avaliação mais precisa, também é recomendada a realização do exame de toque retal.

A orientação do Ministério da Saúde é discutir a realização dos exames de rastreamento com o paciente. O recomendado é que os homens procurem um urologista para começar um acompanhamento a partir dos 50 anos. Caso haja algum fator de risco, a partir dos 45. No caso de ter algum parente de primeiro grau diagnosticado com câncer de próstata, o ideal é começar aos 40 anos.

Portanto, acima de qualquer preconceito ou receio quanto à realização do exame, a principal informação a ser transmitida ao público masculino é que o sucesso do tratamento vai depender do estágio em que o câncer for diagnosticado. E que, se detectado inicialmente, o câncer de próstata tem 90% de chances de ser vencido.

É pela importância que a prevenção tem no combate a esta doença, que movimentos como o Novembro Azul têm se tornado grandes aliados nos programas de medicina preventiva das operadoras de saúde.

O Novembro Azul na sua operadora

Mesmo não estando diretamente envolvidas com as ações organizadas pelo instituto, muitas operadoras de saúde costumam fazer campanhas de conscientização durante esse período. Entre as atividades que podem ser realizadas estão encontros internos para discussão da saúde masculina, palestras e distribuição de material informativo, ações em lugares públicos ou mesmo eventos para promover a prática da atividade física. O importante é trazer o assunto à tona, levar informação e motivar uma mudança de comportamento em seus beneficiários.

E na sua operadora? Há alguma iniciativa para abordar a promoção da saúde entre os homens aproveitando a movimentação em torno do Novembro Azul? Compartilhe conosco a sua experiência.

Entre em contato

Solicite uma demonstração ou deixe sua mensagem

Ficou com dúvida sobre o Previva?