Aproveite os excessos de fim de ano para aumentar o engajamento na medicina preventiva


O último mês do ano é sinônimo de festa: além do Natal e do Réveillon, há ainda diversas comemorações realizada por empresas, associações, escolas, etc. Mas, infelizmente, também é sinônimo de excessos.

excessos de fim de ano

Quem participa de todos esses eventos está mais do que propenso a cometer os tradicionais “excessos de fim de ano”. Ou seja: comer demais, consumindo alimentos ricos em açúcar, sal e gordura.

Como gestor de uma operadora de saúde, você deve desenvolver uma estratégia para tentar resguardar seus beneficiários destes excessos, com atenção especial para aqueles diagnosticados com hipertensão ou diabetes.

Que mal faz exagerar nas festas de fim de ano?

Além de levarem a excessos na alimentação, as festas de fim de ano também estão associadas a bebida demais e horas de sono de menos. Essa combinação, se mantida durante muitos dias, pode não só trazer aumento do peso, da pressão arterial ou das taxas de colesterol.

Até mesmo as pessoas que se alimentam bem e mantêm um estilo de vida saudável podem ser prejudicadas pelos excessos de fim de ano.

Segundo pesquisadores da Universidade de Liverpool, na Inglaterra, as bactérias presentes no sistema digestivo sofrem um impacto quando ingerimos alimentos ricos em gordura, por exemplo.

Outro estudo, dessa vez da Universidade de Chicago, apontou que a má alimentação pode alterar a proporção entre bactérias benéficas e microrganismos prejudiciais à saúde.

Portanto, se os excessos forem mantidos por um certo tempo há o risco de desenvolver alguns distúrbios a longo prazo, como uma inflamação intestinal, por exemplo.

O paciente crônico e os excessos de fim de ano

Os cuidados com a alimentação e a saúde durante o período de festas devem ser ainda mais rigorosos para quem tem restrições alimentares decorrentes de uma doença crônica, como hipertensão, diabetes ou outras doenças cardiovasculares.

Para estes pacientes, o consumo de sal, de gordura e açúcar deve ser controlado mesmo durante as festividades de fim de ano. Portanto, sua operadora pode (e deve) orientar esses beneficiários e levar a eles mais informações sobre como aproveitar essa época do ano sem precisar colocar em risco sua saúde.

Mensagens por e-mail ou mesmo por whatsapp, com dicas e sugestões para evitar os abusos durante as festas podem ser muito eficazes. Dependendo do conteúdo, você pode usar um sistema de gestão de medicina preventiva para selecionar apenas beneficiários com diabetes ou hipertensão para receber as mensagens, por exemplo.

Ou então pode mandar para um grupo maior de pessoas, que também vão se beneficiar destas informações.

Veja a seguir algumas dicas que podem ser repassadas aos seus beneficiários nesta época do ano:

  • A alimentação nestes eventos deve começar sempre pelas saladas, pelas frutas, e depois faça a opção por carnes que sejam mais magras. Deve-se evitar o consumo de massas com caldos gordurosos à base de queijo e leite.
  • Se você vai ingerir bebidas alcoólicas, não esqueça de se manter hidratado. Beber água entre um copo de álcool e outro é fundamental para proteger o organismo e evitar consequências desagradáveis no dia seguinte, como enxaquecas, dores estomacais e diarreias.
  • A alimentação também merece atenção especial na hora de ingerir álcool. Alimentar-se antes de beber e comer alguma coisa entre um copo e outro retarda a difusão do álcool no organismo. Para evitar a ressaca também é importante não misturar destilados (cachaça, uísque, vodka) com fermentados (vinho, cerveja).
  • Para quem não resistiu e acabou cedendo aos excessos de fim de ano, a dica é comer comer alimentos mais naturais no período pós-festas para ajudar o organismo a eliminar o excesso de alimentos ruins. Procure adotar uma alimentação à base de verduras, legumes, frutas, especialmente com casca. Para recuperar de uma maneira geral, deve-se ingerir bastante líquido, como água, água de coco ou sucos.

Uma oportunidade para promover a medicina preventiva

Se você busca aumentar o engajamento e a participação dos usuários nos programas de medicina preventiva da sua operadora, que tal aproveitar a “ressaca” pós-festas para divulgá-los?

Logo nos primeiros dias de janeiro, muita gente já está arrependida dos excessos de fim de ano que cometeu e prometendo a si mesma começar o ano novo cuidando mais da saúde.

Esse é um momento ideal para reforçar suas ações de divulgação e começar a entrar em contato com aqueles beneficiários que têm perfil para participar de programas de apoio a hipertensos, obesos ou diabéticos, por exemplo, mas ainda não “se mexeram” para se inscrever.

Até mesmo grupos destinados a pacientes com problemas de abuso de álcool podem ser divulgados nesse período.

Fazer uma comunicação ativa, levando uma mensagem de incentivo nesse momento pode ser o que faltava para você conseguir aumentar a participação e o engajamento nos programas de medicina preventiva desde o início do ano.

Se você quer saber mais sobre como aumentar o engajamento dos beneficiários da sua operadora de saúde, baixe agora mesmo o e-book que preparamos especialmente sobre esse assunto. É só clicar na imagem abaixo:

engajamento medicina preventiva

Entre em contato

Solicite uma demonstração ou deixe sua mensagem

Ficou com dúvida sobre o Previva?