Confira a lista dos exames laboratoriais considerados essenciais pela OMS


Você sabe quais são os exames laboratoriais essenciais para se ter uma gestão adequada da saúde de uma população?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), há um total de 228 exames e testes que deveriam estar acessíveis a todas as pessoas, seja na rede pública ou na saúde suplementar.

A maioria desses exames laboratoriais envolve diagnóstico e monitoramento de doenças prevalentes, além de métodos para verificar a segurança em doações de sangue.

Você pode conferir cada um deles na Lista de Exames Essenciais, que teve sua segunda edição divulgada recentemente pela entidade.

exames laboratoriais preventivos

Segunda edição amplia o número de exames

De acordo com a OMS, o principal objetivo com a publicação deste documento é auxiliar na construção de políticas de saúde ao redor do globo.

Na primeira edição, lançada em 2018, a lista contava com 113 exames e estava mais focada em doenças historicamente prioritárias, como diabetes, HIV, malária, hepatite e colesterol alto.

A nova versão da listagem inclui 115 exames laboratoriais considerando também outras condições, com destaque para o câncer.

Diagnóstico precoce do câncer

Na lista de 2019, a OMS incluiu 12 testes de laboratório indicados para detectar tumores malignos e determinar as características moleculares de cada um.

Segundo a entidade, promover o acesso a exames de diagnóstico precoce do câncer é fundamental para avaliar o estágio de desenvolvimento da doença e definir a melhor estratégia de tratamento.

O câncer tem se tornado uma preocupação cada vez maior diante do processo de envelhecimento da população, uma vez que as pessoas estão vivendo mais e se tornando mais suscetíveis a desenvolver de todo tipo de neoplasias.

Simples, baratos e eficazes

Um dos testes incluídos na lista é o PSA, que ajuda a rastrear o câncer de próstata. Usando apenas uma pequena porção de sangue, o exame consegue medir alterações na quantidade de antígenos específicos da próstata.

Outro exame laboratorial presente na lista é a pesquisa de sangue oculto nas fezes, fundamental para o diagnóstico precoce de câncer colorretal. Ele consiste em analisar uma amostra de fezes em busca de resquícios de sangramento e de outras alterações causadas pela doença.

Apesar de ser um teste simples e barato, a pesquisa de sangue oculto nas fezes ainda é pouco utilizada. Em 2018, um estudo sobre o tema revelou que 45% das pessoas que levam o pote do exame para casa acabam não retornando para entregar a amostra.

Prioridades para países em desenvolvimento

Na listagem ampliada pela OMS, a quantidade de exames para condições prevalentes em países de baixo ou médio nível socioeconômico também cresceu.

Agora a lista conta com exames laboratoriais para a identificação de casos de cólera, dengue, zika, leishmaniose, esquistossomose e anemia.

Também foram adicionados testes que permitem detectar o vírus influenza a partir de uma amostra de secreção nasal. Outro exame relacionado à prevenção da gripe incluído na lista é monitoramento da presença do vírus em sangue destinado à transfusões.

A importância dos exames laboratoriais

Ao reforçar a importância de investir na prevenção e no diagnóstico precoce de doenças que podem permanecer silenciosas por anos, a lista da OMS representa uma referência importante tanto para o serviço público quanto para as operadoras de saúde suplementar.

Afinal, os exames laboratoriais indicados são em sua maioria métodos simples e baratos para reduzir a incidência de doenças como o diabetes tipo 2, uma condição que ainda permanece desconhecida por 46% de seus portadores.

Para evitar o desperdício de recursos com o uso indiscriminado dos exames, a entidade recomenda que sua aplicação considere as características da população atendia, seu padrão de doenças e os recursos disponíveis, entre outros fatores.

E você, já deu uma boa olhada na lista da OMS? Será que a sua operadora oferece todos os exames laboratoriais recomendados pela entidade?

Entre em contato

Solicite uma demonstração ou deixe sua mensagem

Ficou com dúvida sobre o Previva?