Quais são os conceitos de atenção na medicina preventiva?

Os conceitos de atenção na saúde pública são definidos como o conjunto de todas as ações governamentais para o atendimento de demandas e exigências, compreendendo o campo da assistência, intervenções ambientais e políticas externas do setor. Trata-se da série de cuidados que permitem a manutenção básica de saúde, serviços terapêuticos e a coordenação de serviços comunitários.

Essas diretrizes são definidas em políticas, programas e serviços de saúde criados dentro dos princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS). Assim, este sistema é dividido em níveis de atenção, para definir uma hierarquização do atendimento e a responsabilização de cada ação pelos municípios e estados. Isto facilita na hora de definir como os recursos serão distribuídos e como os serviços de saúde devem ser oferecidos.

conceitos-de-atencao

Atenção Primária

A atenção primária define todas as ações de promoção, prevenção e proteção à saúde. Ela é responsabilidade dos governos municipais. Fazem parte dela o Programa de Saúde da Família, Vigilância Epidemiológica, Vigilância Sanitária, Vigilância Ambiental e principalmente a Unidade Básica de Saúde (UBS). O conceito de atenção primária ainda é fortalecido pelo surgimento do projeto Dentista da Família e do Programa Agentes Comunitários de Saúde.

Atenção secundária

Já a atenção secundária atua no plano das especialidades – quando um atendimento necessita de maiores cuidados, como exames complementares, consultas com especialistas e internações hospitalares. Os hospitais deste nível prestam assistência em especialidades básicas, como pediatria, clínica médica e ginecologia, além dos serviços de urgência e emergência, ambulatório e assistência a pacientes internados. Estão incluídos também neste nível o Programa Mais Saúde Perto de Você, o Projeto de Implantação dos Centros Especializados de Odontologia. Esta é responsabilidade das microrregiões dos estados.

Atenção terciária

Por fim, a atenção terciária é voltada para questões de maior complexidade, que envolvem mais recursos tecnológicos para dar conta de casos complicados. Abriga a área ambulatorial de alto custo, como quimioterapia, radioterapia, terapia renal substitutiva (hemodiálise), medicamentos excepcionais, hemoterapia, ressonância magnética, diagnoses especializadas e medicina nuclear. Também é responsável pelo atendimento em hospitais nas áreas cardiovascular, ortopédica, oftalmológica, câncer, transplantes, parto de alto risco, neurocirurgia e UTI. Esta é responsabilidade das macrorregiões dos estados do país.

Desta forma, o repasse de verbas dos estados para estes setores é melhor trabalhado. O percentual de cada um é definido de acordo com as exigências que os atendimentos solicitam – por exemplo, as ações realizadas pela atenção terciária possuem um custo muito maior do que as de atenção primária, apesar de serem solicitadas com menos frequência.

Lembramos que todos esses procedimentos são oferecidos para qualquer pessoa que resida no Brasil, livre de custos, independente se trabalham ou não, se contribuem para o INSS ou não. O direito à saúde pública pertence a todo cidadão, seja na esfera da atenção primária, de procedimentos mais simples, ou na esfera da atenção terciária, de atendimentos mais complexos e mais custosos.

Agora que você já sabe quais são os três níveis da medicina preventiva, clique na imagem abaixo e baixe o e-book que criamos para ajudá-lo a obter os melhores resultados em cada um deles:

Como obter resultados nos três níveis da medicina preventiva

Entre em contato

Solicite uma demonstração ou deixe sua mensagem

Ficou com dúvida sobre o Previva?