A atividade física na promoção da saúde

Atividade física na promoção da saúde

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o sedentarismo é o quarto fator de risco mais importante para a mortalidade precoce por todas as causas. Calcula-se que o sedentarismo seja responsável por 6% das doenças cardíacas coronárias; 7% do diabetes tipo 2; 10% do câncer de mama e 10% do câncer de cólon. Segundo estimativas da OMS, se a prática de atividade física aumentasse em 25% mais de 1,3 milhão de mortes precoces poderiam ser evitadas a cada ano no mundo.

Diante deste cenário, a OMS recomenda fortemente a criação de políticas e programas destinados a promover a saúde incentivando a prática regular de atividade física.

Atividade física é qualquer movimento resultante de contração muscular esquelética capaz de aumentar o gasto energético acima do repouso. Ou seja: não é preciso praticar esporte ou fazer atividades de alto impacto para obter bons resultados para a saúde. É só botar o corpo para se mexer!

Um estilo de vida mais ativo contribui para diminuir a incidência de várias doenças crônico-degenerativas, reduzindo os índices de mortalidade cardiovascular e geral. A prática regular de exercícios garante o aumento de massa muscular, além da preservação da massa óssea e o controle da glicemia e da pressão.

Veja no vídeo abaixo uma conversa entre o consultor de saúde Márcio Atalla e o ortopedista Dr. Carlos Lopes, tratando das possibilidades da atividade física em uma abordagem voltada para a medicina preventiva:

Incentivando a atividade física

A atividade física é indicada para todas as faixas etárias, com diferentes objetivos. Para crianças e adolescentes, um maior nível de atividade física contribui na melhora do perfil lipídico e metabólico e reduz a incidência de obesidade. Criar esta consciência desde cedo entre os jovens significa estabelecer uma base sólida para reduzir os índices de sedentarismo entre adultos. Para a terceira idade, a atividade física traz benefícios como a prevenção da osteoporose e a manutenção da massa muscular, possibilitando mais força, flexibilidade e equilíbrio para realizar tarefas do dia-a-dia, além de uma melhor autoestima e maior consciência corporal.

O problema é que, mesmo cientes dos benefícios, a maioria da pessoas não encontra tempo para fazer exercícios e os compromissos do cotidiano acabam afastando-as da atividade física. Além disso, as facilidades da vida moderna, com sua tecnologia avançada e acesso fácil aos bens de consumo, só fazem aumentar a inatividade entre a população.

Diante disso, as operadoras de saúde têm investido cada vez mais na atividade física como medicina preventiva, criando programas com o objetivo de incentivar seus beneficiários a praticarem exercícios regularmente. São desenvolvidas ações como caminhadas, corridas, encontros ao ar livre, alongamento, yoga, ginástica laboral, entre outras. A ideia é manter as pessoas ativas e saudáveis, poupando custos com internações e tratamentos desnecessários.

Gestão organizada

A melhor forma de aplicar e coordenar programas como estes é formando grupos de acordo com os diferentes perfis populacionais encontrados no universo de beneficiários e “ativá-los” periodicamente convidando-os para participar das atividades organizadas pela operadora. Mas não basta apenas estimulá-los a praticar atividade física, é preciso acompanhar de perto seus indicadores de saúde para analisar se as ações estão realmente tendo resultado.

Para facilitar este trabalho é recomendável a adoção de um software especializado em medicina preventiva que possibilite a gestão otimizada destas informações e um planejamento mais eficiente das ações de prevenção e promoção da saúde.

No sistema Previva o usuário tem a opção de usar o módulo de atividades educacionais para fazer a gestão dos participantes e coletar seus indicadores. É possível acompanhar indicadores tanto do time operacional como dos participantes dos programas, além de formar grupos para atividades específicas, controlar a agenda dos facilitadores, gerar gráficos de frequência média dos participantes por encontro realizado, aplicar avaliações, entre outros.

E não esqueça: a atividade física é uma das mais eficientes ferramentas para a medicina preventiva. Portanto, não perca tempo. Foque seus esforços em desenvolver programas que promovam a prática de exercícios e coloque seus beneficiários para se mexer!

Entre em contato

Solicite uma demonstração ou deixe sua mensagem

Ficou com dúvida sobre o Previva?