Alongamento: uma ferramenta simples e eficaz para a medicina preventiva


Alongamento: uma ferramenta simples e eficaz para a medicina preventiva

Dentro de uma estratégia de medicina preventiva em uma operadora de saúde existem algumas práticas simples, mas de grande resultado prático, que devem ser promovidas entre os beneficiários sempre que houver a oportunidade. O alongamento é uma delas. Indicado para os mais variados perfis e faixas etárias – de idosos a crianças, de atletas a gestantes –, trata-se de uma atividade acessível e sem maiores custos, com benefícios reais e perceptíveis para a saúde em geral. Para o gestor de medicina preventiva, o alongamento pode ser um grande aliado na manutenção da qualidade de vida dos usuários de um plano de saúde.

Uma sessão de alongamento consiste em uma série de exercícios de movimento estático para trabalhar a musculatura na parte cervical, coluna, membros e regiões pélvica, torácica e lombar. O objetivo é diminuir o estresse causado por atividades repetitivas e posturas inadequadas que tensionam os músculos e acabam gerando dores em diversas partes do corpo. Por isso, reservar alguns minutos diários para relaxar, corrigir a postura e melhorar a circulação sanguínea pode acabar com uma série de incômodos, de dores musculares a cólicas menstruais. Por promover o estiramento das fibras musculares, fazendo com que elas aumentem de comprimento, o alongamento proporciona um aumento da flexibilidade do corpo, o que o torna indicado também para quem pratica atividades físicas regularmente e em processos de reabilitação, como a fisioterapia.

A prática frequente do alongamento traz os seguintes benefícios:

Melhor desempenho nas atividades diárias, como carregar pacotes, abaixar-se para amarrar sapatos ou correr para pegar o ônibus.

Melhor circulação e fluxo de sangue nos músculos, ajudando o tempo de recuperação em caso de lesões musculares;

Melhor postura, minimizando o desconforto e reduzindo as dores em músculos e articulações;

Alívio do estresse e melhorias na coordenação motora.

Na medicina preventiva, a ideia principal é transformar o alongamento em um hábito a ser incorporado no dia a dia das pessoas, seja quando acordam, em intervalos no trabalho ou antes de se exercitarem. Ao organizar eventos e ações que envolvam atividade física, não deixe de incluir sessões de alongamento orientadas por profissionais capacitados. Esta equipe deve aproveitar a oportunidade para distribuir informações sobre a importância do hábito de se alongar frequentemente e ensinar algumas rotinas básicas que podem ser reproduzidas pelas pessoas em suas casas ou ambientes de trabalho. É importante deixar claro que o alongamento pode ser feito a qualquer momento do dia, depois de se ter passado muito tempo em uma só posição, seja no trabalho, no trânsito ou assistindo a uma palestra, por exemplo.

O alongamento em programas de saúde

Dentro de grupos organizados pela operadora de saúde – como gestantes, doentes crônicos e pessoas que se recuperam de lesões ou cirurgias – o alongamento deve ser incluído em ações de medicina preventiva observando técnicas e aplicações específicas para cada tipo de condição. Fora destes grupos já organizados, a operadora também pode identificar perfis de beneficiários que poderiam se beneficiar ao adotar a prática do alongamento – como pessoas que estão se recuperando de alguma lesão, por exemplo – e direcionar a eles informações específicas sobre o assunto, convidando-os para participar de ações que envolvam atividades físicas e alongamento. A melhor forma de fazer isso é utilizando um sistema automatizado de gestão de medicina preventiva capaz de identificar estes perfis e coordenar ações direcionadas.

O alongamento também é um ingrediente fundamental em programas de ginástica laboral, sendo de grande ajuda na prevenção de doenças ocupacionais como lesões por esforço repetitivo (LER) e distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT), além de contribuir para a diminuição do estresse no trabalho. A ginástica laboral se baseia em alongamentos de diversas partes do corpo, como tronco, cabeça, membros superiores e membros inferiores, com exercícios diferentes para cada função exercida pelos trabalhadores. Ao perceberem os resultados da prática do alongamento na empresa, muitas pessoas passam a adotar este hábito no seu dia-a-dia, mesmo fora do trabalho. Por isso é importante que as equipes que promovem a ginástica laboral estejam preparadas para orientar os interessados com dicas de exercícios para se alongar em casa ao acordar ou antes do futebol de quinta à noite, por exemplo.

Atividades físicas regulares são essenciais para a saúde e para o bem-estar do corpo. Organizando ações para divulgar e incentivar a prática do alongamento, sua operadora estará ajudando a despertar esta consciência em muita gente antes acostumada a uma vida sedentária. Convencê-los a adotar o hábito de se alongar ao menos três vezes por semana pode ser o primeiro passo para que saiam da inércia e comecem uma rotina de atividades físicas regulares. Portanto, mãos à obra! Não perca as oportunidades para fazer do alongamento uma ferramenta para promover o bem estar e a qualidade de vida entre seus beneficiários.

Foto: Benjamin Miller/FreeStockPhotos.biz

Entre em contato

Solicite uma demonstração ou deixe sua mensagem

Ficou com dúvida sobre o Previva?